segunda-feira, janeiro 17, 2011

Meus nomes

Se me disserem árvore, eu sou.Pássaro, canção, eu vou.Ainda chamando-me de erva, mato intruso que nasce onde não...Sim! Recebo a nomeaçção no corpo de pó.Morrer é não ter palavra para se inventar.Morrer é ficar só.

Um comentário:

  1. Achei.... assim que puder quero ler tudo agora passei só de raspão....

    ResponderExcluir